Cresce confiança de pequenas e micro empresas

Na contramão do setor industrial, os pequenos empresários estão mais confiantes na economia e 70% esperam aumentar o faturamento até o fim do ano. Em agosto, esse percentual foi de 66%.

Os dados fazem parte de estudo divulgado pelo Sebrae, que, em parceria com a Fipe, criou um novo indicador para acompanhar expectativa de receita e ocupação do setor -o índice de confiança das micro e pequenas acompanha 5.600 empresas.

Por setor, o percentual de alta no faturamento é ainda maior no comércio: 78%.

“Micro e pequenos empreendedores mantêm foco no mercado interno. Com a renda em alta, o desemprego em baixa, a estabilidade econômica e a aproximação do fim do ano, o otimismo aumenta”, afirma Luiz Barretto, presidente do Sebrae.

O estudo também constatou que, em média, 27% dos empresários pretendem contratar nos próximos três meses. Na construção civil, a intenção é maior: 34%.

“A contratação entre os pequenos tem se mantido há meses aquecida. Por isso, esse percentual de quase 30% é positivo”, diz Barretto.

Em agosto, micro e apequenas foram responsáveis pela criação de 97,4% das vagas abertas no mês, ou 98.283, segundo dados do Ministério do Trabalho.

O índice de confiança das MPEs somou 122 pontos em setembro, o maior desde abril, quando o Sebrae iniciou a série. Está alinhado ao indicador de confiança do consumidor, medido pela FGV: 121 pontos em setembro.

CONTRAMÃO

Após dois meses de crescimento, a confiança do empresário da indústria recuou em outubro. Para a CNI (Confederação Nacional da Indústria), a queda reflete a expectativa de recuperação mais lenta do setor.

Fonte: Folha de S. Paulo