Sebrae e ABDIB assinam convênio para fortalecer MPE

Presidente do Sebrae, Luiz Barretto, e o presidente da ABDIB, Paulo Godoy durante assinatura do convênio

O Sebrae e a Associação Brasileira de Infraestrutura e Indústrias de Base (ABDIB) assinaram nesta sexta-feira (10) um convênio de cooperação geral para ações voltadas à promoção e ao fortalecimento das micro e pequenas empresas industriais dos setores de energia elétrica, petróleo, gás e derivados, transporte, construção e engenharia, saneamento ambiental, telecomunicações e indústrias de base (mineração/cimento, siderurgia, papel e celulose).

O objetivo é trabalhar o encadeamento produtivo, envolvendo pequenos fornecedores e grandes companhias. “Queremos que os pequenos negócios sejam grandes fornecedores destes setores”, disse o presidente do Sebrae, Luiz Barretto, durante a assinatura do convênio na sede da ABDIB, em São Paulo.

Segundo ele, a economia do país está crescendo e há grandes obras de mobilidade urbana e estádios para a Copa do Mundo sendo construídos. “As grandes empresas responsáveis por essas obras têm todo o interesse em organizar os seus fornecedores no entorno, pois isso diminui os custos e gera desenvolvimento local nessas comunidades”, afirmou.

Hoje, diz Barretto, apenas 16% do faturamento das micro e pequenas são relativos a vendas para grandes empresas. O Sebrae há cinco anos possui uma parceria com a Petrobras na qualificação de fornecedores. “Nós conseguimos aumentar em 25% a participação das MPE no fornecimento direto e indireto da companhia, ajudando a criar 13% a mais de empregos”. Além disso, o Sebrae atua também com empresas como a Vale e a Gerdau.

O Sebrae e a ABDIB irão criar comitês especiais para tratar do assunto. Segundo o presidente da ABDIB, Paulo Godoy, grande parte dos empresários desconhece muitas vezes a capilaridade e os projetos que o Sebrae desenvolve e acaba tomando iniciativas isoladas. “Nós sabemos que, para a economia crescer, é preciso uma base de pequenos negócios sólidos, que criam um ambiente favorável também para as grandes”.

Ações

Válido por três anos, o convênio prevê ações como o mapeamento dos principais investimentos realizados pelos associados da ABDIB nas cadeias de energia elétrica, petróleo, gás e derivados, transporte, construção e engenharia, saneamento ambiental, telecomunicações, indústrias de base (mineração/cimento, siderurgia, papel e celulose) para identificar oportunidades de inserção competitiva e sustentável de micro e pequenas empresas nessas cadeias. Estão previstas também rodadas de negócios e cursos de qualificação para que as pequenas empresas possam fornecer respeitando os padrões de qualidade e certificação dos grandes empreendimentos. Além disso, estão previstos estudos e pesquisas em parcerias com instituições de ensino, ciência e tecnologia que visem desenvolver conhecimento sobre temas relevantes para a inserção competitiva e sustentável de MPE nos grandes investimentos.

Governos municipais das regiões onde há grande investimento das cadeias produtivas também serão incentivados a promulgarem, regulamentarem e implementarem a Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas. Para o diretor-técnico do Sebrae, Carlos Alberto dos Santos, o acordo com a ABDIB irá oferecer uma operação centralizada. “Como a entidade reúne as grandes empresas, ações poderão acontecer de forma integrada e mais ampla”, disse.

Fonte: Agência Sebrae